05 abril 2017

BEM-ME-QUER. MAL-ME-QUER




No jogo do bem e do mal-me-quer 
calhou-te a ti como mulher
 a última pétala 
e também a obrigação, 
de pedires a realização 
de um desejo qualquer.

s@si

04 abril 2017

BRUXA ADOLESCENTE


.
TUA BRUXA ADOLESCENTE

Vivo a vida com intensidade
despertando paixões por toda cidade
na minha idade sou bem querida
sou uma bruxa bem crescida
Não sou oferecida
mas sou muito bonita
meu fascínio é a liberdade
Grito e pulo por toda a cidade
sempre chamo muita atenção
sou uma bruxa com amor no coração
Na escuridão eu sou a luz
com um brilho incandescente
vejo vida sobre a morte
sou a luz da própria sorte
meu desejo é a paixão
sem muita ilusão
sonhar é meu destino
com um amor correspondido
sou querida e sempre amiga
amizade em uma corrente
sobre a luz incandescente


de uma BRUXA (sempre) ADOLESCENTE
SEMPRE MENINA…
SEMPRE MULHER…
UMA DEUSA
QUE SOMENTE A TI TE QUER!
.................
Bruxinha 

SEREI EU A TUA DEUSA




  • ANJO, FADA, DEUSA, BRUXA,
  • SIMPLESMENTE; UMA DOCE E BELA MULHER!!!
  • OU SERÁ QUE SEREI TUDO ISSO E MUITO MAIS!!!

...

Há um anjo homem,
Que me atingiu o coração,
E me mostrou que tem…
Nas asas a protecção.

Há um anjo homem,
Há um homem anjo,
Que por vezes é meu bem,
Em outras meu desarranjo.

Há um anjo em mim…
A me seduzir e dominar…
Não sei se no fim…
Vai me conduzir ou usar.

Meu anjo homem,
Acalenta-me, acolhe-me…
Mas trás consigo a fera,
Que a mim quer com fome.

Há um anjo homem,
Há um demónio também…
Que carrega meu corpo…
E minha alma para o além…

Quero desfrutar de tudo,
Do homem e do anjo,
E do demónio também…
Pois sei que a minha alma,
Também está dividida…

...
 
Entre a doce criança que é calma…
E a mulher que aos teus desejos se entrega… e no teu amor se abriga.
Anjo,
Demónio,
Fada,
Deusa,
Bruxa má, ou simplesmente uma doce e bela mulher…
Não sei bem quem eu sou, quem nós somos…
Mas não quero deixar de contigo estar.
................
Bruxinha

MIAU! MIAU!





Meu gato querido
Meu homem e menino
Despertastes em mim
Um vulcão adormecido.
.
Agora tô louca
Só quero tua boca
Teu beijo molhado
Gostoso, safado.
.
Sentir o teu cheiro
Revelar-te segredos
Me diz gato lindo
Quais são teus desejos.

Que queres que eu faça

Sou gata no cio
Sou gata manhosa
Vem com maestria,
Me assanha, me arrepia.
.
Me prende me domina
Que eu sou a tua menina
E por ti acordo suada
Em cada madrugada.
.
Quero teu gemido rouco
Na hora do amor
Matar minha sede
Beber teu suor.
.
Me diz gato lindo
Me diz por favor
Que também me desejas
Que és meu amor.
.
Vem gato lindo
Vem gato amado
Vem! vem depressa
Miar no meu telhado.

...

Recebido por mail
Gata Triste

MEU AMOR








MEU AMOR:
Considera, meu amor, a que ponto chegou a tua imprevidência.
Desgraçado, foste enga­nado e enganaste-me com falsas esperanças.

Uma paixão de que esperaste tanto prazer não é agora mais que desespero mortal, só compa­rável à crueldade da ausência que o causa.

Há-de então este afastamento, para o qual a minha dor, por mais subtil que seja, não en­controu nome bastante lamentável, privar-me para sempre de me debruçar nuns olhos onde já vai tanto amor, que despertavam em mim emoções que me enchiam de alegria, que bas­tavam para meu contentamento e valiam, en­fim, tudo quanto há?
...

Ai! os meus estão pri­vados da única luz que os alumiava, só lágri­mas lhes restam, e chorar é o único uso que faço deles, desde que soube que te havias deci­dido a um afastamento tão insuportável que me matará em pouco tempo.

Parece-me, no entanto, que até ao sofri­mento, de que és a única causa, já vou tendo afeição.

Mal te vi a minha vida foi tua, e chego a ter prazer em sacrificar-ta. 
...
Mil vezes ao dia os meus suspiros vão ao teu encontro, procuram-te por toda a parte e, em troca de tanto desassossego, só me trazem sinais da minha má fortuna, que cruelmente não me consente qualquer engano e me diz a todo o momento: Cessa, pobre Mariana, cessa de te mortificar em vão, e de procurar um amante que não voltarás a ver, que atravessou mares para te fugir, que está em França rodeado de prazeres, que não pensa um só instante nas tuas mágoas, que dispensa todo este arrebata­mento e nem sequer sabe agradecer-to. 
Mas não, não me resolvo a pensar tão mal de ti e estou por de mais empenhada em te justificar. Nem quero imaginar que me esqueceste.

Não sou já bem desgraçada sem o tormento de fal­sas suspeitas?
...
E porque hei-de eu procurar esquecer todo o desvelo com que me manifes­tavas o teu amor? 
Tão deslumbrada fiquei com os teus cuidados que bem ingrata seria se não te quisesse com desvario igual ao que me leva­va a minha paixão quando me davas provas da tua.

Como é possível que a lembrança de mo­mentos tão belos se tenha tornado tão cruel?
E que, contra a sua natureza, sirva agora só para me torturar o coração?
Ai a tua última carta reduziu-o a um estado bem singular: bateu de tal forma que parecia querer fugir-me para te ir procurar. 
...
Fiquei tão prostrada de comoção que durante mais de três horas todos os meus sentidos me abandonaram: recusava uma vida que tenho de perder por ti, já que para ti a não posso guardar.

Enfim, voltei, contra vontade, a ver a luz: agradava-me sentir que morria de amor, e, além do mais, era um alívio não voltar a ser posta em frente do meu coração despedaçado pela dor da tua ausência.

Depois deste acidente tenho padecido muito; mas como poderei deixar de sofrer enquanto não te vir?
...
Suporto, confundo o meu mal sem me queixar, porque me vem de ti.
...
É então isto que me dás em troca de tanto amor?
...
Mas não importa, estou resolvida a adorar-te toda a vida e a não ver seja quem for, e asseguro-te que seria melhor para ti não amares mais ninguém.
Poderias contentar-te com uma paixão menos ardente que a minha?
...
Talvez encontrasses mais beleza (houve um tempo, no entanto, em que me dizias que eu era muito bonita), mas não encontrarias nunca tanto amor, e tudo o mais não é nada.

Não enchas as tuas cartas de coisas inú­teis, nem me voltes a pedir que me lembre de ti.
Eu não te posso esquecer, e não esqueço também a esperança que me deste de vires passar algum tempo comigo.

Ai! Porque não queres passar a vida inteira ao pé de mim?
Se me fosse possível sair deste malfadado con­vento, não esperaria em Portugal pelo cumpri­mento da tua promessa: iria eu, sem guardar nenhuma conveniência, procurar-te, e seguir­-te, e amar-te em toda a parte.
...
Não me atrevo a acreditar que isso possa acontecer; tal espe­rança por certo me daria algum consolo, mas não quero alimentá-la, pois só à minha dor me devo entregar.

Porém, quando meu irmão me permitiu que te escrevesse, confesso que surpreendi em mim um alvoroço de alegria, que suspendeu por momentos o desespero em que vivo.
...
Suplico-te que me digas porque tei­maste em me desvairar assim, sabendo, como sabias, que acabavas por me abandonar?
...
Por­que te empenhaste tanto em me desgraçar?
Porque não me deixaste em sossego no meu convento?
Em que é que te ofendi?

Mas perdoa-me; não te culpo de nada.
Não me encontro em estado de pensar em vingança, e acuso somente o rigor do meu destino. 
Ao separar-nos, julgo que nos fez o mais temí­vel dos males, embora não possa afastar o meu coração do teu; o amor, bem mais forte, uniu-nos para toda a vida.
E tu, se tens algum interesse por mim, escreve-me amiúde.
Bem mereço o cuidado de me falares do teu coração e da tua vida; e sobretudo vem ver-me.

Adeus.
Não posso separar-me deste papel que irá ter às tuas mãos.
Quem me dera a mesma sorte!

Ai, que loucura a minha!
Sei bem que isso não é possível!
Adeus; não posso mais.
Adeus. Ama-me sempre, e faz-me sofrer mais ainda.

CARTAS PORTUGUESAS
( carta atribuída a Soror Mariana Alcoforado – Tradução de Eugénio de Andrade)

02 abril 2017

AS MINHAS MÃOS





Olhando para as minhas mãos, mãos que tanto, amaram e tanto profanaram e olhando aquela Igreja situada no centro da cidade entre um cinema e uma pequena loja de comércio, resolvi entrar e confessar os meus pecados. 


É uma igreja antiga e estava quase mergulhada na escuridão não fosse uma fraca luz que iluminava apenas o altar-mor. 

Lá dentro o ar estava impregnado de um velho cheiro a incenso que logo me fez reviver recordações doces e inocentes, vividas no tempo da minha solene comunhão.

Os confessionários estavam todos vazios e apesar de procurar insistentemente com os olhos um padre, não apareceu nenhum. 

Ajoelhei-me então, tomei a cara entre as mãos e de cabeça baixa fiz uma pequena oração pedindo para os meus pecados perdão e para ti meu amor Divina protecção.


S@SI

...
Foto de: Rui Melo


01 abril 2017

DESOLAÇÃO





DESOLAÇÃO

Disseste-me tu certo dia…
Vou ficar feliz se souber que estás bem.

Respondi-te eu! Atrapalhado…

Fisicamente, penso que sim. Emocionalmente, acho que não.

Porquê?
Porque o coração bate apressado e descompassado.

E o culpado é um ser grandioso e belo que aparece nesta singela tela mas que depois se esconde do outro lado.

Porque vejo com desespero e desolação que caminhamos por linhas paralelas que jamais se encontrarão.


S@SI






31 março 2017

JARDIM FLORIDO




JARDIM FLORIDO
Na minha vida, sempre existiu um jardim feminino e florido.
Jardim no qual eu colhi muito fruto desejado e proibido.

Ela! Foi um deles.
Um fruto maduro, adocicado e de em aroma extasiante.
Por isso, e depois de o provar logo quis fazer dela minha mulher ou simplesmente minha amante.

Na cama a nossa simbiose era perfeita.

Começava num explorar sábio e sensitivo das suas emoções e terminava comigo agarrando e exaltando todas as suas excitações.

Com ela, os preliminares eram indispensáveis, longos e agradáveis.
As festas, os toques, os carinhos, os beijos e as lambidas que sempre lhe dispensava muito a agradavam, e sempre eram entre nós muito afáveis.

Depois, e durante todo o tempo em que a amava as minhas mãos e os meus dedos nunca perdiam o contacto com a sua pele já quente e rosada.

Eles a massajavam com zelo, delicadeza, mas também com vigor.
Eles a deixavam relaxada e agradada e a faziam sentir dentro de si um enorme calor.
Calor que mais não é do que um forte desejo.

Mesmo quando deitados de lado, quando um no outro estávamos enlaçados, quando o seu sexo era pelo meu penetrado eu nunca me esquecia de que estava ali para a amar, mas também para um diferente prazer lhe dar
Nessa altura em que no auge da paixão é normal o homem perder a razão e egoísta se tornar, eu, sempre me mantive desperto e capaz de o seu clímax até ao fim alimentar.
Por isso...
Quando toda ela fervia.
Quando baixinho gemia.
Quando na cama se agitava.
Quando o seu corpo ao encontro do meu empurrava.
Eu sabia que uma penetração profunda, ela desejava.

Sim.
Muitos frutos, eu colhi. Mas em nenhum outro, o sabor do dela… Eu conheci.

Na cama, era extremamente meiga e dedicada.
Era como nenhuma outra uma mulher ao mino e ao carinho muito dada.

Já eu! 
Desde logo senti, que ela gostava que lhe acendessem a sua chama com dedicação e calma.
Por isso, o seu bem-estar e o seu prazer à frente do meu, coloquei.
Por isso, daquela forma mágica e intensa noite após noite a amei.



S@SI



30 março 2017

MULHERES COMO TU




Decididamente, esta não é uma vulgar carta de amor.

Diria antes, que ela é apenas e só, uma justa homenagem a uma Diva, e a uma mulher muito mais bonita do que qualquer flor.

Você é uma Mulher de porte altivo e dona de uma asfixiante sensualidade.
Uma mulher, que sabe vestir com distinção e imensa classe.

Uma mulher, que antes de qualquer lindo vestido já veste no corpo desnudado muita feminilidade.

Não há dúvida… Você seduz e arrasa.

Você deixa a concorrência reduzida a pó, cinza e nada.

Como mulher, você é também uma temporária fonte de vida e acredito que será por toda a sua vida uma inesgotável fonte de prazer, para todos os homens que a merecem ter.

Adoro as suas fotos em calções talvez porque elas me soltam desejos e fortes emoções.

Adorei também vê-la em lindos vestidos floridos que escondem os seus seios simétricos e para o comum dos homens… proibidos.

Adorei o fino recorte dos seus sempre belos sapatos cujo salto alto lhe embeleza ainda mais a perna e é para qualquer homem de bom gosto um verdadeiro sobressalto.

Enfim…
Meus olhos a viram como um furacão.
Um feitiço de amor e paixão.

Um misto perfeito de um lindo rosto de menina num exuberante e sedutor corpo de mulher.

Como disse, esta não é uma carta de amor.
Apenas e só uma declaração de valor.
Um valor incalculável e do qual você é dona e senhora.

Falo claro da sua opulenta beleza.

Tentei não ser vulgar nesta minha homenagem a uma mulher que encanta e cujo corpo me deixa com um nó na garganta.

Muito poderia mais dizer mas não tenho esse direito e correria o risco de a sua amizade mesmo virtual perder.

Assim…
Termino lhe desejando do fundo do meu coração uma só coisa.

Que desse seu rosto de menina, e desse seu corpo de mulher, não desapareça nunca a beleza que agora mostram.

Mulheres como tu nunca deviam envelhecer. 


s@si

HOJE! ESTOU ASSIM





Depois de a conhecer! Ganhei uma nova forma de viver.
Sempre presente em meus sonhos, aquela linda Mulher, eu não consigo esquecer.

Mal sabia ela o quanto é dilacerante o grito que por vezes ouço dentro de mim quando imagino o calor do seu beijo de mulher madura perdida em paixão e loucura.

Era tão linda, tão sensual que os meus tristes olhos sempre a viram como uma linda estátua de cor, uma mulher que dos pés à cabeça é puro fascínio e desejo de amor.

Sofro.
Sofro, e ainda hoje fico aflito com um desejo maldito que não acalma e que me fere o coração e a alma

Lá fora chove, o dia está frio e cinzento mas cá dentro eu vivo o doloroso momento de não poder estar a seu lado, e de ser homem por ela, perdidamente apaixonado.

Me desculpa, mas hoje estou assim, carente e te desejando só para mim.

S@SI


PRECISO DE TE AMAR





Sim… Preciso de ti.

Preciso do teu sorriso maroto.

Preciso do teu abraço, envolvendo o meu corpo.

Preciso do teu cheiro gostoso.

Preciso do sabor da tua pele sempre tão misterioso.

Preciso de a ti me abandonar.

Preciso de no teu corpo navegar.

Preciso de te beijar e, de combalido ficar de tanto te amar.

Preciso do teu corpo belo e ardente e de nele satisfazer, este meu desejo de amor urgente.

Preciso de cheirar, tocar lamber e beijar... todos os teus recantos de encantar.

Sim…

Preciso de te amar.


S@SI

28 março 2017

UMA MÃO CHEIA DE NADA




Tu para mim… És antes de tudo um Mulher docemente misteriosa.

Uma de Mulher de alma generosa

E acredita que a tua amizade é para mim uma verdadeira pedra preciosa.

Tu me seduzes.
Tu me deixas por vezes perdido e sem descortinar o caminho mesmo estando eu, entre intensos raios de luzes

Sim… É verdade… Tu me confundes.

E quando penso que já todo o teu interior conheço logo por umas novas palavras por ti alinhadas eu esmoreço por já não ter a certeza de nada.

Estudei-te e concluí que és Mulher terrena sim…
Mas também uma Diva feita de… 
Cor. Perfume. Subtileza. Charme. Elegância e delicadeza. 

Que poder é esse Mulher…
Que desencadeia na minha pacatez tempestades capazes de fazerem grandes estragos.

Às palavras que te dediquei respondeste com uma mão cheia de nada.





Em troca te ofereço este lindo pingente onde cada flor está divinamente perfumada.





Agora!
Resta-me o silêncio e caminho por uma outra estrada.

Quanto às flores… São tuas, até as quereres. 
Mas enquanto prevalecerem por favor não as deixes por sede morrer.


s@si - Caixa Postal



27 março 2017

TU E EU





Freneticamente te desejo;
Mas agora que por aqui não te vejo… Penso que estarás de novo magoada.

Olhei-me então ao maldito espelho;
Que logo me disse, Que estou velho.

Senti o sangue fugir-me do rosto e, olhando-o de novo ao espelho vi nele, uma palidez quase de morto.
Depois!
Uma espécie de angústia começou a oprimir-me o peito, o espírito se tornou turbo…
E todo aquele quarto ficou por muito tempo completamente escuro.

Quando voltei a mim, logo pensei de novo em ti…
E foi então que logo ali eu percebi,
Que continuo completamente por ti enfeitiçado e todo o meu desejo mesmo não sabendo o motivo do teu desagrado…

É apenas e só… lançar-me de joelhos diante de ti e ser perdoado.

Afinal… TU E EU!
Fomos:
Verdadeiramente feitos um para o outro.

Afinal… TU E EU!
Somos:
Quatro braços que se fecham num abraço apertado e profundo.
Dois corações que se abrem ao mais lindo amor do mundo.


s@si

25 março 2017

MONOPÓLIO DE PRAZER





Gosto de fazer amor contigo,
porque juntos, sempre vivemos e experimentamos novas emoções.


Gosto de fazer amor contigo,
porque sempre te amarro nas minhas loucas ficções.


Sim é verdade.


Gosto muito de fazer amor contigo.
Enredando-me na tua voluptuosidade.
E, vendo-te possuída por uma excitante obscenidade.


Gosto de fazer amor contigo…
Porque sendo o teu sexo uma arma que mata o meu desassossego com todo o seu poder, o teu corpo, tão feminino e de tão opulenta beleza, é afinal…
O meu monopólio de prazer.


O desejo desse pequeno mundo mágico que é o teu corpo, percorre-me a pele.


E tudo o que me apetece agora, mulher…
É alimentar-me de ti, estejas tu… 

Onde estiver.

Termino.


Pois…
Seca-se-me a boca.

Tremem-me as mãos. 
Sofro de um desejo que não acalma.
Mas pela última vez vou gritar…Te amo do fundo da minha alma.


S@SI

23 março 2017

SABES BEM





A tua arma não me intimida.
A tua arma me encanta e fascina.

E depois... 
Sabes bem que...
Adoro o teu corpo semidesnudado me esperando e
ntre finos lençóis deitado. 

Adoro o teu corpo semidesnudado. 
E apenas por uma ténue luz… iluminado. 
 
Sim… 
Adoro o teu lindo corpo de mulher 
e sempre me esgoto 
para não lhe dar um prazer qualquer. 

Adoro o teu corpo semidesnudado, trémulo e agitado 
Um corpo perdido em anseios e pecaminosos devaneios. 

Um corpo de beleza rara e muito bela 
Um corpo que grita e sempre se agita, entre uma e outra lambidela. 


s@si

SAUDADE QUE MATA




O tempo!
Vai passando, passando.

Mas a saudade de ti...

Essa! 

Vai ficando e matando.

Por isso! Corro… Corro para os meus fantasmas de amor ir de mim afastando


s@si

MATAS-ME DE DESEJO






Existem homens que fazem amor, sem delicadeza.
Já eu, minha querida.
Ando cego pelo teu corpo e pela tua grande beleza.
.
Ando Inundado pelo desejo de te beijar, de lentamente te despir.

Ando possuído por uma forte vontade de novamente te possuir.
.
Não imaginas como o desejo da tua carne me queima as ideias e sem palavras para te dizer, apenas me resta fazer aflorar no teu corpo, todo o corpo, os teus desejos com os meus beijos.
.
Sabes!
Sempre achei a beleza do teu corpo...
Opulenta e tentadora, uma beleza que não se nota quando estás simplesmente vestida, mas que sempre me deslumbra quando te vejo de roupas despida.
.
Naquela noite…Não te podendo ter…
Entrei na banheira pouco a pouco, e pouco a pouco fui mergulhando na água quente e de cor azulada.

Uma vez estendido no fundo:
Pensando em ti… Fechei os olhos e sorri.

De regresso a minha cama esperavam-me os lençóis finos e sedosos que pareciam querer acariciar-me o corpo em teu lugar.
O colchão cedia docemente a cada movimento que o meu corpo fazia sempre que meu cérebro, te imaginava bela e desnudada.
Movimentos, sem nexo mas que acordavam no meu apêndice físico um forte desejo de sexo.
.
Meu amor...
Matas-me de desejo
– Murmurei então baixinho antes de dormir o meu soninho.
.
s@si

22 março 2017

PARABÉNS NINA




PARABÉNS NINA

Aos oito anos de idade, Nina… 

A minha linda cadela de raça Havanês continua muito feliz, amável e brincalhona.

Dotada de grande inteligência e esperteza, convive excepcionalmente bem com crianças, brincando com elas incansavelmente.

Mesmo sendo brincalhona, Nina… 
Dificilmente se deixa enganar, por isso e também por estar sempre atenta a tudo o que a rodeia é uma excelente cadela de vigia e alarme.

Nina… Como todas as cadelas da sua raça é pequena e forte.

Suas pernas são baixas, o seu pêlo é longo, abundante, muito brilhante, ondulado e muito macio.

Quando solta, Nina… 
Exibe uma corrida extraordinariamente rápida e um movimento muito elegante e de grande elasticidade.

Adoro esta minha cadela… meiga, solidária e companheira.

Por isso; neste seu aniversário, desejo-lhe muitos anos de vida saudável na minha companhia.


Parabéns Nina

s@si




COM PAIXÃO E DELICADEZA






Da classe e do charme que do teu corpo de mulher se liberta, escolho sem dúvida o charme como a principal vertente da linda mulher que apesar de se mostrar doce, mostra também poder ser uma fascinante serpente.

Uma serpente rara que depois de estimulada mexe, mexe e não pára.

Um ser que alternará no amor

entre o saber ser um ser submisso mas também dominador.

Disseram-me os teus olhos que serás também mulher capaz de inverter o jogo da sedução e de num qualquer golpe de mão te tornares a dona, a rainha e a senhora da relação.

Na verdade, quando me imaginei no afago desses braços 
pensando poder repousar neles de todos os meus cansaços...
logo senti que estavas ousada e determinada a seres muito, muito amada.

Nesse jogo de amor, tu ardentemente me beijavas, lambias, sugavas e mordias.

Tu, sem pudor me causavas sofrimento e dor enquanto me arranhavas e devoravas.

E o macho que eu sou, 
depressa entre os teus braços em presa indefesa se transformou.

Dócil e submisso, eu te levei ao paraíso, enquanto tu… gozavas e perdias o juízo.

Que um grande amor te apareça.
Que ele seja capaz de te amar como mereces com paixão e delicadeza.
Que ele, pelos caminhos da felicidade te conduza. 
Que ele, em todos os dias te fascine e seduza.
.
s@si
(Caixa Postal)
........................



NÃO MINHA QUERIDA





Não… 
Minha querida.
Não aceito a tua partida. 

E acredita que quanto mais o tempo avança 
mais eu tenho na lembrança... 
A tua cara tão querida.

Não…
Não aceito a tua partida. 
E acredita, que sem teu amor, é enorme a minha dor. 

Agora que já desabafei. 
Agora que mais uma vez te disse... que sempre te amei...

Te digo, que constantemente, eu sinto o louco desejo de te beijar... ardentemente. 


s@si