26 novembro 2010

A GRANDE TRAGÉDIA DO PORTO

.





A Ponte das Barcas, foi inaugurada a 15 de Agosto de 1806. 

Era constituída por vinte barcas ligadas por cabos de aço e que podia abrir em duas partes para dar passagem ao tráfego fluvial. 

Foi nessa ponte que se deu a tristemente célebre catástrofe da Ponte das Barcas, em que milhares de vítimas pereceram quando fugiam, através da ponte às cargas de baioneta das tropas da segunda invasão francesa, em Março de 1809.



Reconstruída depois da tragédia, a Ponte das Barcas acabaria por ser substituída definitivamente em 1843





ALMINHAS DA PONTE





O tempo não esqueceu
A tragédia que aconteceu
No Porto, junto à ribeira.
A dor e a recordação
Ainda ferem o coração
Desta gente bem tripeira.

Há quase duzentos anos
Um exército de tiranos
Ás ordens de Napoleão,
O Porto saquearam
E muita gente mataram
Nessa covarde invasão.

Quis o povo apavorado
Passar para o outro lado
Mas a ponte não resistiu.
Morreu tanta, tanta gente
Porque a ponte infelizmente
Com o peso se partiu.

Teixeira Lopes, o escultor
Esculpiu com amor
Este relevo na Ribeira.
E nas noites muito calmas
Há quem oiça as suas almas
Chorar pela noite inteira.

A Alves